O ProjectoA AbetardaO MétodoZPE de Castro VerdeResultados
Leia o nosso Diário de Bordo Home PageContactosLinks  


Nome

Corta-rabos

Nº do emissor

42498

Data e local de marcação

Aljustrel, 29/06/2004

Peso na marcação (g)

2080

Asa (mm)

440

Cauda (mm)

156

Sexo

Macho

Nº de crias

1

Distância acumulada (m)

1092187.18

Nº de localizações

2760

Distância max entre locs (m)

41157.11 (44h), 30755.42 (24h)

Distância média entre locs (m)

430.843069

Altitude máxima (m)

407 (1819m a 30 de Out 2004 erro?)

Altitude mínima (m)

alt neg

Velocidade máxima

82

Nº de dias de emissão

416

STATUS

Deixou de emitir a 18/08/05

 

Principais movimentos - Os movimentos efectuados por este indivíduo permitiram identificar locais de dispersão situados no Baixo-Alentejo – é o caso das Zonas a Sul de Aljustrel, entre Aljustrel e Messejana, Salvada/Cabeça Gorda e Santa Vitória. No percurso para Norte o “Corta-rabos” passou por Montemor-o-Novo, Vendas Novas e Salvaterra de Magos (onde permaneceu algum tempo na área de lezíria junto ao Tejo), e chegou a estar 200kms de distância do local de marcação, na Serra dos Candieiros. Deste ponto, empreendeu nova viagem para Sul, adoptando o mesmo corredor dispersivo, até ao estuário do Tejo.

 

Os movimentos em detalhe

De 29 de Junho de 2004 a 5 de Agosto de 2004 o “Corta-rabos” permaneceu no local de marcação (área de utilização de 400 hectares). Posteriomente, deslocou-se cerca de 10 kms para Noroeste, para a zona do Monte das Mesas (aljustrel), onde permaneceu entre 7 de Agosto a 28 de Outubro de 2004 (área de utilização de 350 hectares). Daqui deslocou-se cerca de 3,5 kms para Sudeste, para a zona das Brunheiras, onde permaneceu entre 28 de Outubro de 26 de Novembro de 2004 (200 hectares utilizados). Desde esta data até 18 de Dezembro efectuou um movimento dispersivo para Este e posteriormente para Nordeste, o qual deverá correponder ao período de emancipação. Abandonou definitivamente a ZPE de Castro Verde e, entre 18 de Dezembro e 30 de Abril de 2005, o “Corta-rabos” estabeleceu-se na área da Salvada (Beja) tendo utilizado, durante este período, uma área de 3000 hectares. Dispersou 17 kms para Oeste e frequentou de 1 de Maio a 6 de Junho de 2005 a Zona da Corte Negra, Santa Vitória – Beja (área utilizada – 500 hectares).

A partir de 6 de Junho de 2005 iniciou a dispersão para Norte, com permanências nos seguintes locais: Barragem de Odivelas/Rio Seco (Concelho de Alvito) (12 a 24 de Junho); Vale de Asna – S. Cristovão (Montemor-o-Novo) (28 de Junho a 7 de Julho); Vendas Novas (em passagem) e Vale da Ribeira de Canha (em rumo a Norte). Chegou à Zona de Protecção Especial do Estuário do Tejo a 11 de Julho (Ribeira do Vale Cobrão – Samora Correia), atravessou o Tejo perto da Azambuja em 12 de Julho, e parou na zona da Marmeleira. Chegou ao limite Norte da dispersão a 13 de Julho na Serra de Candieiros (Freguesia Alcanede, concelho de Santarém). Na viagem para Sul, parou novamente na Marmeleira (13 e 14 de Julho), e estabeleceu-se nas lezírias ribatejanas de 16 de Julho a 18 de Agosto (entre Azambuja e Salvaterra de Magos, numa área de 1200 hectares, com passagem por Benavente – de 24 a 28 de Julho). Durante este período utilizou com alguma regularidade o Mouchão do Malagueiro e o Mouchão da Casa Branca.
 





 
Figuras - Detalhe das deslocações do “Corta-rabos ( a vermelho localizações e a azul as deslocações)